30 agosto 2014

Resenha: A Elite, Kiera Cass



Nome:A Elite
Autor(A): Kiera Cass
Editora:Seguinte
Páginas:412
Sinopse:A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.



De fato esse é o livro que menos me agradou na trilogia. Nele entramos mais a fundo na história de Illéa, nos rebeldes, mas também nas discussões entre Maxon e América. Nesse livro conhecemos um lado dela insuportável: o egoísmo. Percebi que não era de propósito, mas no final as ações dela refletiam isso.

América passa por muita coisa nesse livro e por mais que em alguns momentos eu ficasse brava com ela tinha que admitir que no fundo a compreendesse. Já falei pra vocês que a escrita de Kiera Cass é maravilhosa e que acaba fazendo você ficar mais ligado com os personagens e com a trama.



Passei por muitos momentos de apreensão pelos rebeldes e pelas briguinhas entre Maxon e América. É certo que esse livro apesar de não ser o melhor da trilogia mostra os personagens mais ao fundo, as razões dos rebeldes e etc...

Bem, este é o fim para quem não quer ler os spoliers.

Os momentos que mais me irritaram logicamente foram quando Aspen aparecia. Fala sério nunca pensei que teria tanto desgosto com um personagem como tive com ele! (¬¬). Tipo, ele termina com a América e do nada aparece lá no palácio querendo tomar posse dela!

Outra coisa insuportável é Maxon e América nessa briguinha de cachorro e gato: ela com ciúme e não admitindo que gosta dele e ele provocando ela e tendo paciência de mais. Acho que faltou uma atitude dele colocar ela contra a parede para que ela dê logo a escolha dela.

Mas... Se fosse assim não teríamos o 3º livro! Então ok.

Sobre o Rei, mais uma vez eu digo que ele é chato! Quase expulsou a América do Palácio (¬¬) e não deixa o príncipe respirar! Isso é muito ruim afinal o Maxon será rei, mas parece que o tal pai dele na o quer perder o controle. Ou melhor, o que resta dele.

Os ataques dos rebeldes ficam mais comuns e fortes ao palácio. Acabamos por desvendar mais sobre a história deste jovem país e acompanhando a América em um grande sonho dela: leia o livro pra saber (risos).

Como eu disse o livro não é o melhor da trilogia, mas o final dele deixa qualquer leitor ansioso para iniciar a próxima leitura!



Espero que tenham gostado da resenha, fiquem com Deus!

Nenhum comentário

Postar um comentário